jump to navigation

40>Queenstown II>17.01.09 fevereiro 10, 2009

Posted by bttgeraes in 1.
trackback

…………………………………………………………………………………

Ficha técnica:

Localidade: Queenstown – Nova Zelândia
Data: 17 de janeiro de 2009
Distância total: 34km em 4 horas
Reabastecimento d’água:
sim
Sinal de celular: sim
Tipos de via:
– estrada: 25%
– estrada de terra: 35%
– trilha: 40%
Navegação: fácil
Nível de dificuldade: médio
………………………………………………………………………………………

Ouça o chamado das montanhas.

Ouça o chamado das montanhas.

A Moonlight Track

Essa rota é talvez a mais longa e intensa na região de Queenstown e do Lago Wakatipu. No melhor estilo loop ou circuito, ela é composta por uma perna de acesso/aproximação, seguido pelo ataque à trilha propriamente dita, e finalmente um trecho de retorno para a área urbana de Queenstown.

Os 3 trechos da rota, o Moke Lake(4) e o monte Ben Lomond(5).

Os 3 trechos da rota, o Moke Lake(4) e o monte Ben Lomond(5).

Geograficamente, o caminho pode ser caracterizado por três diferentes fases.

Trecho 1 – Queesntown ao lago Moke. Abandonando o centro de Queenstown segue-se pela rodovia 6A em direção a pequena cidade de Glenorchy. Margeando o imenso lago Wakatipu a estrada é sinuosa, estreita e sem acostamento, portanto, não é muito convidativa para ciclistas. Apenas 5 km depois chega a interseção com a estrada secundária que leva ao Moke Lake: primeiro subida no asfalto e depois descida na terra com cascalho fino.

Saindo a A6 e entrando na via secundária.

Saindo da A6 e entrando na via secundária.

O vento contra aqui é frequente.

O vento contra aqui é frequente.

No fundo do vale, a estrada encontra o nivel do lago.

No fundo do vale, a estrada encontra o nível do lago.

É normal pegar muito vento soprando contra, ou mesmo empurrando para as laterais da estrada. O trânsito diminui mas ainda são frequentes os encontros com trailers e carros de passeio rebocando barcos. Por não ser abastecido pelo derretimento das neves, o Moke Lake tem águas menos frias que o Wakatipu. De tom esverdeado, esse lago atrai a comunidade local para camping, passeios de caiaque ou barco e também para corridas e pedaladas em suas margens.

Moke Lake logo a frente. Ao fundo o vale da Moonlight se abre.

Perto do lago com o vale da Moonlight ao fundo.

Concentração na margem norte do lago Moke.

Concentração na margem norte do lago Moke.

Depto. de Conservação da NZ marcando presença. Hora de abandonar a área do Moke Lake e seguir à direita.

Depto. de Conservação da NZ marcando presença. Hora de abandonar a área do Moke Lake e seguir à direita.

Trecho 2 – Partindo do Moke Lake até contornar o maciço do Ben Lomond com seus 1790mts de cume. É o começo verdadeiro da trilha Moonlight que dá nome ao circuito. Depois do Moke Lake uma longa baixada por dentro de um vale de fundo plano onde corre a drenagem do lago.

O lado oposto do maciço do Ben Lomond revela a Moonlight.

O lado oposto do maciço do Ben Lomond revela a Moonlight.

Abrigo no meio do nada.

Abrigo no meio do vazio.

Por aqui já não se encontram mais turistas. Somente ciclistas e alguns mais fortes que fazem o mesmo circuito correndo. As terras são particulares e pertencem a uma station, como são chamadas as grandes propriedades de terra onde crescem ovelhas e gado.

Drenagem do lago Moke abrindo o caminho.

Drenagem do lago Moke abrindo o caminho.

Riacho no fundo e o caminho segue na meia encosta.

Riacho no fundo e o caminho segue na meia encosta.

Para começar estradinha de terra que definha até virar trilha de gado. Pela encosta do monte Ben Lomond a trilha segue sempre bem técnica com alguns pequenos trechos de empurra. Onde não empurra é o filé da técnica. É o momento de separar os ciclistas pelo nível e força. Gasta-se bastante tempo para progredir pouco. Mas vale. Depois de alguns km de single-track serpenteando pela encosta, com o vale do rio Shotover bem encaixado abaixo, a trilha entra pelos fundos do bairro Artur`s Point já na periferia de Queenstown

A drenagem local.

A drenagem local.

Caminho de cobra. Deleite para uns e aflição para outros.

Caminho de cobra. Deleite para uns e aflição para outros.

Finalizando o trecho de single-track e logo à frente surge o bairro de Artur`s Point.

Finalizando o trecho de single-track e logo à frente surge o bairro de Artur`s Point.

3 – Artur`s Point a Queenstown. A montanha já foi contornada e um trecho praticamente plano de 5km de asfalto faz a ligação com a cidade. Bem no centro comercial de Queenstown está fechado o circuito.

Procure não estressar a fauna local.

Procure não estressar a fauna local.

Anúncios

Comentários»

1. mumhha - fevereiro 17, 2009

doidimais zin !!!!!!!
loucura total

2. Ana Carollina - setembro 21, 2009

que lugar lindo!

3. Tom - novembro 1, 2009

Esse lugar é demais mesmo! Guguinha me aplicando nos tracks de Aotearoa !!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: