jump to navigation

O sentido de autonomia e independência que a bicicleta proporciona

Muitos usuários enaltecem a bicicleta pelos seus benefícios ao condicionamento físico do pedalador. Junto à bicicleta, o atleta se torna um só, buscando o máximo de performance com o menor desgaste.

Outro benefício apontado é o sentido de autonomia que este esporte proporciona. Enquanto os passeios de bicicleta se resumem às proximidades da residência do ciclista, até aí tudo bem. A situação muda quando aumentam as distâncias e as incursões começam a se estender por dezenas ou centenas de quilômetros, às vezes por caminhos desconhecidos ou até mesmo descobrindo que não há caminho, obrigando o ciclista a voltar por onde veio. É nessas horas que o bttista deve estar bem consciente de suas capacidades para o êxito da viagem.  Uma boa amostra da autonomia que a bicicleta dá começa bem cedo, no início da relação bicicleta-usuário. Quem pedala sempre e desde muito cedo pode até não se lembrar, mas tem uma hora na vida do “casal” em que é necessária uma reviravolta. Chega uma hora em que o sujeito olha prá sua bicicleta e pensa: tenho que aprender a fazer eu mesmo a manutenção desta bicicleta, porque amanhã, se ela der algum problema na trilha, eu vou ter que me virar sozinho.  Segurança e desempenho dependem principalmente da postura do piloto na sua função. Um piloto que conhece o seu equipamento – ou alguém talvez prefira a analogia do soldado e seu fuzil – torna-se cada vez mais auto-suficiente.Desta forma o atleta chega ao ponto crucial de sua atividade esportiva. Percebe que o próximos passos – pedaladas – dependem exclusivamente dele, e seu investimento passa a ser no condicionamento físico e em técnicas de pilotagem e manutenção. A partir do momento em que o ciclista toma consciência de que a manutenção de sua bicicleta depende exclusivamente de sua postura sobre o selim e também de seus conhecimentos de mecânica, os passeios tendem a se tornar cada vez mais longos e técnicos, porém com redução substancial do desgaste tanto da máquina quanto do corpo.Além da mecânica e do condiocionamento físico, para o ciclista experiente outras possibilidades aparecem diante dos olhos. Várias são as disciplinas que auxiliam na performance de seus passeios, que a cada vez atingem lugares mais distantes e desabitados:

1) técnicas de navegação, para encontrar sempre os melhores caminhos;

2) técnicas de nutrição, para manter-se sempre abastecido de energia;

3) técnicas de primeiros socorros, para prestar auxílio em caso de necessidade;

4) técnicas de leitura do clima e dos ventos, para nunca ser surpreendido pelo mau-tempo;

5) técnicas de pilotagem, subida ou descida, para nunca encostar o pé no chão;

6) técnicas de alongamento, respiração e até ioga, para manter-se sempre descansado e pronto para a próxima escalada ou descida.

Estas e muitas outras disciplinas possibilitam ao atleta conhecer mais sobre si mesmo e sobre o ambiente que o rodeia, tornando-o cada vez mais adaptável a situações adversas. Concluímos então que a autonomia e a independência que a bicicleta proporciona contribui para fazer do ciclismo um meio de transporte engrandecedor do espírito humano.

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: